sábado, 25 de fevereiro de 2012

A História dos Poli - de Gênova para Jahu - 1897

"Trentasei giorni di macchina e vapore, e nella Merica noi siamo arrivá" - Canção do folclore italiano

Em homenagem as muitas famílias italianas que se radicaram em Jahu (SP) em fins do século XIX e no início do século XX atraídos pelo café, escrevo a História da minha família, a família Poli, ou Polli. Nas duas formas de se escrever nosso sobrenome (com um "L" e com dois "LL) já um fato histórico comum na época -  desdenho ou incompetência em verificar na hora do registro se o nome estava escrito corretamente.  Não é o caso do sobrenome da minha família, mas alguns sobrenomes sofreram "aportuguesamento" como Croce - Cruz, Contatore - Contador. 
Os primeiros Polis da minha família que chegaram ao Brasil foram meu trisavô Giovanni Battista Poli, com 38 anos de idade (registrado como GIO BATTA POLI na Hospedaria do Imigrante do Brás), sua esposa Cristiana Riane, com 30 anos (não consta o sobrenome da minha trisavó no livro de registro da Hospedaria) e seus dois filhos, Pietro com 3 e Ernesto com 2 anos, meu bisavô. Desembarcaram no dia 08 de outubro de 1897 vindos de Gênova com o vapor São Gottardo com destino a Jahu - já contratados pelo fazendeiro João Bentóca. 



O vapor San Gottardo foi construído por G. Ansaldo & Co, Sampierdarena em 1884 para Dufour & Bruzzo, Gênova. Ele tinha 2.532 toneladas, dois mastros e fazia uma velocidade de 10 nós. Havia acomodação para 30 passageiros de 1ª classe e 1.290 passageiros de 3ª classe. Lançado em maio de 1884, deixou Gênova rumo ao Brasil e à Argentina no mesmo mês. 
Uma viagem de navio naquela época era uma empreitada dura. As condições dos navios eram precárias, o calor, o excesso de passageiros e as condições de higiene favoreciam o aumento de doenças. Aos emigrantes era destinada a cuccetta - espaço muito estreito - uma espécie de dormitório coletivo. Nele havia beliches com colchões de crina, travesseiros e cobertores de lã, que muitas vezes tinha parasitas e piolhos. Mas nem tudo era sofrimento. Festas e jogos animavam os passageiros e os ajudavam a suportar as dificuldades. Assim, depois de 20 a 30 dias de viagem, chegavam ao Brasil, onde se iniciava outra viagem, dessa vez rumo ao futuro incerto das cidades e fazendas.

Texto Francisco Braido 


Foram registrados no livro 60, página 86, família nº 40260. 

Giovanni Battista Poli e Critiana Reani tiveram mais filhos no Brasil - Ítalo Poli e Ítala Poli (gêmeos), Erina e Virginia. 

Irina Poli


Virgínia Poli 
Pietro Poli (Pedro Poli)



Ítala Poli em 1934 com seu esposo 
Ítalo Poli 

Meu bisavô Ernesto Poli (eu tenho uma foto dele que precisa ser digitalizada) casou-se com Paula Buscarquini cujos filhos gerados foram na sequência - Bia de Almeida, Libero Polli - meu avô, Idalina Poli, Clarice Poli, Paschoal Poli e Antonio Poli.  Ernesto Poli trabalhou como agricultor na Fazenda Morro Vermelho e em determinado ano juntou as tralhas e foi para a capital São Paulo, ficando em Jahu apenas meu avô Libero Polli. 

Libero Polli casou-se com Elisa Fávero e tiveram os seguintes filhos - Antonio Poli, Maria Aparecida Poli, Clarice Poli, Lúcia Poli, Laurindo Polli - meu pai, Idalina Polli, Maria Eloiza Polli, Carlos Polli, Terezinha Polli, Amélia Polli, Luiz Roberto Polli e João Gilberto Polli. 


19 comentários:

Valdemir Cremonesi disse...

boa tarde, sou neto de itala poli casada com joao vanso e ha muito tempo estou procurando parentes minha mae é Floripes vanso cremonesi,sei q minha avó tem um irmao gemeo ITALO será um prazer conheçer meus parentes , espero manter contato meu email é valdemir_cremonesi@hotmail.com se preferir entrar em contato pelo tel. é [44] 88274321 [44] 99768119 pulfavor entre em contato um forte abraço

Unknown disse...

Meu avô era o Antonio Polli...

Jose Poli disse...

Sou José Alvaro Poli, neto de ítalo Poli. Nasci em Jaú mas moro em São Paulo desde os 9 anos de idade, sou casado com Clara Aparecida de Aguiar Poli e tenho 2 (dois) filhos, Victor e Júlia. Meu e-mail é jpoli15@yahoo.com.br e o telefone é (11)995585757. Um grande abraço e entrem em contato

Patricia Polly disse...

Sou Neta de Jorge Polli, Meu nome é Patricia Polli e através de um trabalho de escola que começei a averiguar a história do sobtrenome Polli e como sou muito curiosa trenho certeza que não vou parar por ai!!!
Abraço a todos

Lorena Polli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lorena Polli disse...

Bom dia, meu nome é Lorena Polli, sou de Nova Trento, que possui muitos descendentes dos imigrantes Polli oriundos da Itália. Seu texto é muito interessante e me deu vontade de pesquisar a minha descendência por parte da família Polli mais a fundo.

Banana Gameplay disse...

oi, meu nome é LUIZ POLI e sou neto de Angelo Poli sempre morei no Brasil e não tenho informação

Marcio Pollis disse...

Olá sou Marcio Sergio Pollis, não se se houve distorção na escrita, pois tenhos primos que escreve polli e até poli,.. sou filho de EUCLIDES POLLIS QUE É FILHO DE CLAUDIO POLLIS E QUE FOI FILHO DE SILVIO POLLIS, ORIGEM ITALIANA, FORAM MORADORES DO ESTADO DE SÃO PAULO ATÉ DECADA DE 50, E APÓS SE FIXARAM NO ESTADO DO PARANÁ, norte do estado,... gostaria de informações,... abraços a todos,... independente de sermos parentes, nosso nome é lindo e a história de nossos antepassados foi maravilhosa e muito corajosa..

Lindomar Edson Polis disse...

Olá!!!! Meu nome é Lindomar Edson Polis, sou neto de Augusto Polis e bisneto de Celeste Polis. Sou de Caxias do Sul e o sobrenome "Polis" tem variações e foi "aportuguesado" por escrivães de cartórios pelo Brasil todo... Abraços para todos os parentes...

Lindomar Edson Polis disse...

Olá!!!! Meu nome é Lindomar Edson Polis, sou neto de Augusto Polis e bisneto de Celeste Polis. Sou de Caxias do Sul e o sobrenome "Polis" tem variações e foi "aportuguesado" por escrivães de cartórios pelo Brasil todo... Abraços para todos os parentes...

RICARDO POLI disse...

SOU RICARDO POLI DE SERTANEJA PARANÁ MEU FILHO SE CHAMA PIETRO POLI EM HOMENAGEM AO NOSSO DECENDENTE TEMOS O SELO COMEMORATIVO DOS 110 ANOS DA FAMILIA POLI NO BRASIL E XEROX DA CARTA EXPEDIDA PELO REI DA ITLIA DA EPOCA SOU MUITO FELIZ POR PERTENCER A ESSA ENORME FAMILIA

Unknown disse...

Que louco...sou bisneto do Ernesto Poli e neto da Idalina Poli! Legal encontrar a história da família assim...
Sou Carlos Eduardo...se possível, gostaria de uma foto do meu bisavô para mostrar para minha mãe (Clarice)... aruspd@hotmail.com.
Obrigado!

Unknown disse...

Oi sou Rafael poli sempre tive curiosidade de saber a origem do sobrenome poli,sou de Porto alegre Rs...

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rafael rodrigues poli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rafael rodrigues poli disse...

Oi sou Rafael poli sempre tive curiosidade de saber a origem do sobrenome poli,sou de Porto alegre Rs...

rafael rodrigues poli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rafael rodrigues poli disse...

Oi sou Rafael poli de Porto Alegre Rs,sempre tive curiosidade em saber a origem do sobrenome poli...

Ulisses Poli disse...

Legal isso!
Estava pesquisando sobre o sobrenome poli e encontrei, esse claro que não consta os nomes de meus avós ai.
Mas me chamo Ulisses Poli, filho de Rosmere Poli, que é filha de Sílvia Poli e Agemiro